ZÉ CARLOS BERNARDO

Acabo  de ler a noticia do falecimento do Zé Carlos volante do Cruzeiro e um de seus maiores ídolos.Volto ,na memória e no tempo e me vejo no dia 30 de setembro de 1967, um domingo, em um Mineirão lotado para  mais um clássico entre Cruzeiro e Atlético.O Cruzeiro começava a se firmar no cenario nacional  com uma equipe fantástica  ,que no ano anterior  havia conquistado a  Taça Brasil em cima de ,nada mais nada menos que o Santos de Pelé,com duas vitórias inquestionáveis:6×2 no Mineirão(com direito a um 4×0 no primeiro tempo) e 3×2 ,de virada em São Paulo.Por volta de 15:30 daquele domingo,os alto falantes do Mineirão ecoavam a escalação do Cruzeiro:Raul, Pedro Paulo,William ,Procópio e Neco;Piazza e Dirceu Lopes;Natal ,Tostão,Evaldo e Hilton Oliveira.Do outro lado me recordo apenas de alguns nomes:Helio,o goleiro,Grapete,Lacy e Ronaldo.Começa o jogo e aos oito minutos Tostão sofre uma entorse e sai carregado pelo  massagista KO nocaute Jack.E aí começa a historia do Zé Carlos.Quando  é anunciada a substituição   e o nome do Zé   é mencionado, todos os cruzeirenses,eu inclusive, e grande parte da crônica esportiva  é tomada de surpresa;quem é esse Zé Carlos,de onde veio ,como Felicio Brandi  e Cármine Furletti o descobriram?Tudo se esclareceria nos dias que se seguiriam.Mas o importante naquele momento,era aquela tarde .aquele jogo e o novo integrante da equipe celeste.Aos dezoito minutos do segundo tempo,o Atlético vencia por 3×0 e o Lacy desaba  no gramado e acusa o Procópio de tê-lo agredido.O zagueiro é expulso.E agora?pensava eu:sem Tostão,para mim um dos jogadores mais geniais que vi jogar,com menos um jogador e perdendo de 3, com um jogador que ninguém conhecia,com certeza a vaca vai pro brejo.Para tornar as coisas ainda mais dramáticas ,desabou um temporal  danado.Pronto,agora acabou!!Eu estava no setor de cadeiras bem próximo do gramado e ouvia  o chacoalhar  das chuteiras do Piazza ao correr naquela grama encharcada pela chuva.O esforço dos jogadores era enorme e heróico e a recompensa veio paulatinamente   surgindo ,no primeiro gol,depois no segundo e a galera explodiu quando o Cruzeiro empatou.Era bonito ver esse garoto,de passadas inconfundíveis e elegantes  substituir um mágico Tostão, com uma classe e segurança   fantasticas.E para premiar sua estréia estupenda,aos 44 do segundo tempo cobrou uma falta,jogando a bola na junção do travessão com a trave esquerda do Helio.Merecia ter entrado.O  impacto  do empate foi tão grande nas hostes atleticanas que o Helio caiu em desgraça.E ,ali ,naquele 30 de Setembro  de 1967 nascia mais um astro da constelação estrelada.Há alguns anos estive com o Zé Carlos e tiramos uma foto que guardo com muito carinho.Que o Zé descanse em paz!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s